Decreto de Promoção para o QAE

Categories: Concursos, Legislação
Tags: No Tags
Comments: No Comments
Published on: 05/12/2012

Algumas coisas estão começando a melhorar para o QAE. Segue decreto que regulamenta o concurso de Promoção.

DECRETO Nº 58.648, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012
Regulamenta a promoção dos integrantes das classes do Quadro de Apoio Escolar da
Secretaria da Educação que especifica e dá providências correlatas
GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas
atribuições legais e com fundamento no que dispõe o artigo 27 da Lei Complementar nº
1.144, de 11 de julho de 2011,Decreta:
Artigo 1º – A promoção, de que tratam os artigos 25 a 27 da Lei Complementar nº
1.144, de 11 de julho de 2011, e que se processará em conformidade com as normas
estabelecidas neste decreto, abrangerá os servidores integrantes das seguintes classes do
Quadro de Apoio Escolar – QAE:
I – Agente de Serviços Escolares;
II – Agente de Organização Escolar;
III – Secretário de Escola.
Parágrafo único – A promoção de que trata este decreto será efetuada através do
Concurso de Promoção, composto por avaliação de competências nos termos do inciso
II do artigo 26 da Lei Complementar nº 1.144, de 11 de julho de 2011.
Artigo 2º – Considera-se promoção do servidor, a passagem da faixa em que seu cargo
ou função-atividade se encontra enquadrado, mantido o nível de enquadramento, para a
faixa imediatamente superior, em virtude de aquisição de competências adicionais às
exigidas para ingresso no respectivo cargo ou
função-atividade.
Artigo 3º – São requisitos para fins de promoção:
I – contar, no mínimo, com 5 (cinco) anos de efetivo exercício na faixa em que o cargo
ou função-atividade estiver enquadrado;
II – ser aprovado em avaliação teórica ou prática para aferir a aquisição de competências
adicionais às exigidas para ingresso;
III – possuir:
a) certificado de conclusão de ensino médio ou equivalente, para os integrantes da
classe de Agente de Serviços Escolares;
b) diploma de graduação em curso de nível superior, para os integrantes da classe de
Agente de Organização Escolar, quando da promoção para a faixa 3;
c) diploma de graduação em curso de nível superior, para os integrantes da classe de
Secretário de Escola.
Artigo 4º – O período de 5 (cinco) anos de efetivo exercício, a que se refere o artigo
anterior, será apurado até o último dia do semestre imediatamente antecedente ao de
abertura do processo de promoção.
§ 1º – Na apuração do tempo de efetivo exercício de que trata o “caput” deste artigo, a
contagem deverá computar os afastamentos considerados de efetivo exercício para todos
os efeitos legais.
§ 2º – Na apuração do interstício de que trata o “caput” deste artigo, a contagem de
tempo será interrompida quando o servidor contar com as seguintes ocorrências:
1. falta injustificada;2. penas disciplinares nos termos dos incisos I a III do artigo 251 da Lei nº 10.261, de
28 de outubro de 1968.
§ 3º – O tempo de serviço cumprido pelo servidor na faixa inicial referente ao seu cargo
ou função-atividade, no período anterior à vigência da Lei Complementar nº 1.144, de
11 de julho de 2011, poderá ser considerado para perfazimento do interstício exigido
para a promoção de que trata este decreto, desde que se encontre investido no mesmo
cargo ou funçãoatividade.
Artigo 5º – Fica vedada a participação, no Concurso de Promoção de que trata este
decreto, ao servidor que:
I – estiver afastado nos termos do artigo 202 da Lei nº 10.261, de 28 de outubro de 1968;
II – houver sido punido com as penas de repreensão e suspensão nos últimos 24 (vinte e
quatro) meses contados a partir da data de publicação do Edital de Abertura do
Concurso de Promoção.
Artigo 6º – O processo da avaliação, de que trata o inciso II do artigo 3º deste decreto,
será promovido e implementado pela Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos,
da
Secretaria da Educação, ouvida a Unidade Central de Recursos Humanos, da Secretaria
de Gestão Pública.
Parágrafo único – Caberá à Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos:
1. definir critérios metodológicos da avaliação;
2. estabelecer e proporcionar infraestrutura adequada para a realização da avaliação;
3. proceder à elaboração e à publicação de editais, comunicados e normas
complementares ao processo sob sua responsabilidade.
Artigo 7º – Será considerado como de efetivo exercício, para todos os fins e efeitos,
mediante apresentação do correspondente atestado de frequência, o dia em que o
servidor
comparecer à avaliação de que trata o inciso II do artigo 3º deste decreto.
Artigo 8º – Para efeito de comprovação da formação acadêmica, de que tratam as alíneas
“b” e “c” do inciso III do artigo 3º deste decreto, somente serão considerados diplomas
devidamente registrados pelos órgãos competentes.
Artigo 9º – O concurso de promoção será realizado a cada 2 (dois) anos, devidamente
precedido de publicação de edital que regulamentará o concurso correspondente.
Artigo 10 – A promoção do servidor far-se-á por ato específico do Secretário da
Educação e produzirá efeitos pecuniários a partir de 1º de janeiro do ano subsequente ao
da data de publicação do Edital de Abertura do Concurso de Promoção.
Artigo 11 – Este decreto entra em vigor na data de sua publicação.
Palácio dos Bandeirantes, 3 de dezembro de 2012
GERALDO ALCKMIN
Herman Jacobus Cornelis Voorwald
Secretário da Educação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

     

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Welcome , today is segunda-feira, 28/07/2014